Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2015

#LoveLetter_AITD

Imagem
Boa noite,
Venho por este meio dirigir-me à  AMOR (Associação Mortuária Originária de Rancor), com o objectivo de reclamar do serviço prestado pela mesma.
Como deve constar nos vossos registos, há cerca de um mês recorri à AMOR e comprei-vos o pacote “morte súbita”. Apesar de no início ter ficado satisfeita com os resultados, acontece que ao fim de uma semana, a paixão voltou e desde então não voltei a conseguir desfazer-me deste sentimento. Como o “morte súbita” declara o óbito do cônjuge, neste momento passei de ódio pela pessoa, para um amor impossível, uma vez que a mesma se encontra sepultada no meu quintal (tal como indicava o “passo 6” nas instruções).
Desta forma, exijo ser reembolsada e indemnizada por defeito nos serviços que me foram prestados, sendo que toda a confiança que tinha na vossa Associação foi quebrada.
Aguardo contacto breve.
Sem outro assunto,
Piedade





Desafio ‪#‎LoveLetter‬_AITD

Imagem
estão convidados a escrever(-nos) uma mensagem de amor apaixonado, desgraçado, obsessivo, magoado, excitado, embaraçado, desengonçado, aprumado, frio, oportunista, violento, poético ou obsceno. use sempre o tag #LoveLetter_AITD

Como dizia o Nick Cave, Let Love in!

Visite-nos no facebook

( Odoroki )

Imagem
à beira do mundo espero algo acontecer
até que acontece

( # go )

Imagem
Dirt, leaves, dew the scent of decaying wood
in your cold lips


























( Burasageru )

Imagem
vento sob os pés horizonte inclina
último sopro

( # yon )

Imagem
o céu desfaz-se em triste chuva de Verão
só para tocar a terra









( Yūbi )

Imagem
uma pluma flutua morre no fio da navalha
sorriso mudo e só

( # san )

Imagem
O azul da sua voz preso na folha de papel
perfuma o ar















(# Chinmoku)

Imagem
uma pérola perfeita na negra clausura da concha
assim é teu amor

( # ni )

Imagem
uma linha vermelha fina, precisa, caligráfica
no teu pulso

































( # ichi )

Imagem
deixar-se despir, amar o vento em silêncio
o destino da montanha