quarta-feira, 28 de setembro de 2011

porque a poesia vale sempre a pena, aqui fica esta que tem direcção

A tua ausência
priva-me de olhar-te

estás tão distante do meu olhar
mas tão perto de mim

pressinto esse teu aroma
juvenil,
primaveril
neste Outono quase verão.

Por onde andam os teus olhares
Que não se cruzam com os meus.

O fogo da paixão dilacera-me
Rebenta o peito
Da pressão
Da paixão
Da tua ausência...

Onde pairam os teus olhos
Que não se cruzam com os meus.


e porque a música é...
http://www.youtube.com/watch?v=xzrC72Xv6pE&feature=related

1 comentário: