Rei de Espadas (parte I de II)

NOTA: O seguinte texto, dividido em duas partes, surgiu da resposta a um desafio colocado no extinto grupo 'Desafio 500'. O enredo era o seguinte:

Um tipo é co-autor dum blog erótico. É perseguido, insultado de maricas, travesti, e outras coisas absolutamente horríveis. Toma uma decisão. Não por causa das perseguições na net, mas sim pelos problemas pessoais que não sabemos quais são. Suicida-se.
Na madrugada de 24 de Maio, mais ou menos pelas 3 da manhã, atira-se da ponte 25 de Abril. Na manhã seguinte, o tipo que o perseguia na net morre, de repente.
Agora o Desafio está do seu lado. Pode contar-nos o que se passou?



Amber Asylum - Black Phoebe



Rei de Espadas (parte I)


“Agora que olho nos teus olhos, directamente, sem pudor, medo ou respeito, posso dizer-te tudo o que penso e sempre pensei de ti: és uma besta… e eu quero-te!”


‘B_minE’ olhava para o monitor do seu portátil, mas doía-lhe (ou talvez não quisesse aceitar) o que estava a ler…

Já estava habituado a tudo nas respostas que os seus seguidores lhe deixavam nos seus posts. ‘B_minE’ era conhecido na blogosfera por moderar o blog mais ‘quente’ do momento, era um autêntico bordel da palavra, onde santos e pecadores, anjos e demónios participavam numa esplêndida orgia virtual, uns com(iam) os outros, mas sempre sob a forma de textos incrivelmente criativos, arrojados e belos. O erotismo é beleza, a pornografia êxtase e a escrita…bem, a escrita pode ser vista como a mais subtil e dedicada forma de masturbação mental e emocional.

Mas algures há um limite, a ténue fronteira nebulosa da qual não existe retorno, o acumular da infindável pressão, o ser esmagado pela sua própria memória, a destruição do eu, a alma que se afoga no mar da sua própria sede, o fascínio pelo abismo… ‘B_minE’ estava lá, para além do limite, escolhera ele próprio a palha que quebra as costas do camelo e agora o animal vergava-se sobre ele próprio, contemplava o salto para a imortalidade…


Tudo começou quando descobriu quem ela era e tudo culminou quando aceitou ser cúmplice da sua própria auto-destruição…

(…)

- Agora que olho nos teus olhos, directamente, sem pudor, medo ou respeito, posso dizer-te tudo o que penso e sempre pensei de ti: és uma besta… e eu quero-te! -

- O que é que estás a fazer, amor? –

‘LaUrA’ era uma hardcore fan que um dia me descobriu e me seguiu até ao café onde vou amiúde tomar o meu chá das cinco, que não dispenso, sempre acompanhados de uns deliciosos scones. Ao princípio foi um choque, mas assim que anuí a falar com ela descobri que ela era a peça que faltava, a minha musa, a minha ‘Mad_@Lena’.

- Anda para a cama, é tarde, já é tão tarde, quase duas… e sinto-me sozinha nestes lençóis, vem aquecer-me –

‘LaUrA’. 21 anos, ruiva, linda de morrer, ‘petite’, ancas torneadas, olhos azul cobalto, pezinhos minúsculos e perfeitinhos, dedinho a dedinho, tudo tão ‘inho’!

‘LaUrA’. 21 Anos de demência, desequilíbrio, drogas, sexo com estranhos, sobrevivente.

‘LaUra’. LUa e aUra. Pecado aos pedaços, entre beijos e abraços, recebe-me com violentos sobressaltos e deixava-me entrar na sua mente. Jogávamos os dois ao gato e ao rato, como crianças ébrias pela Primavera, descalças a correr no meio da erva, a aceitar doces de desconhecidos.

‘LaUrA’ é um poema nu, presa a si mesma, pois não sabe que é livre.

‘LaUrA’ está obcecada por mim, mas hoje, como quase todos os dias desde há 3 meses atrás, a minha obsessão não é ela, mas ele. ‘B_minE’. Ela não sabe que hoje estou exausto, sem fôlego, sem cabeça para a aturar, muito menos para a amar, na cama onde ela me espera. Hoje brinquei com fogo e queimei-me. Mas adorei cada momento…

- Anda amor, não te demores, larga lá o portátil e não te ponhas especado a olhar pela janela, a ponte não foge… -


‘B_minE’. 47 anos. Pelo menos era o que constava no perfil. Há quase meio ano que este espectro assombrava a blogosfera com fantasias eróticas que nem os mais libertinos ousavam sonhar. Tudo mentiras e fantasias, isso mesmo, fantasias, dizia-se. Escândalos. De um drogado, ele devia ser um ‘tweaker’, viciado em ‘meta’ e pornografia obscura, só podia, senão de onde vinham aqueles textos (que tanto excitavam as senhoras de bem e confundiam os playboizinhos de segunda categoria)? .

Ele e ‘LaDyoFtHeLakE’ eram os algozes da nossa vergonha, chacinavam preconceitos e pudores, destroçavam corações digitais e deixavam um rasto de destruição, saliva, suor e sémen por entre os esqueletos que os leitores ávidos tiravam dos seus armários e jogavam para a pilha, agora em chamas de caos e orgasmos recalcados.

Se ‘LaDyoFtHeLakE’ era ‘Guinevere on acid and Lilith’s milk’ (assim aparecia no seu perfil), ‘B_minE’ era ‘O filho perdido de Florbela Espanca-me e Oscar Wild’.


Havia ainda um terceiro elemento, que nenhum deles conhecia pessoalmente, mas que, imprudentemente, a autorizaram como participante no seu blog. Nome de código: 'R_U_D_1?' (lia-se 'are you the one?')


Ah, querem saber o nome do blog? ‘Lovers in Gehenna’… Este era o Inferno da nossa obsessão colectiva, onde a santíssima Trindade nos abria as portas para nós mesmos entrarmos onde nunca antes sequer ousámos pensar. Mas ‘B_minE’ era obcecado por tudo isso e ainda mais uma pequena coisa… sonhava com a fantasia final, a derradeira loucura, a imprudência maior dos homens que querem ir até ao fim da linha…



Um dia antes do dia, ‘B_minE’ não resistiu. Finalmente cedeu aos pedidos insistentes de ‘King#§pades’ e encontraram-se. Mas o golpe final foi quando ‘B_minE’ descobriu que mais que o anseio secreto da homo-eroticidade latente deste convite venenoso, havia algo que ele nunca iria conseguir aceitar, a porta para a insanidade.

‘King#§pades’ era o escorpião negro que o iria levar a vergar-se sobre si mesmo e no seu derradeiro fôlego, mergulhar para o abismo as Tágides…
(continua)

Comentários

  1. Está um vício pegado. :D Hedonista, decadente e de leitura compulsiva. Adorei. Onde é que anda a 2ª parte?... :D

    ResponderEliminar

Enviar um comentário