Unidade imaginária



Hoje acordei ao som de três pancadas e, dada a violência do eco de cada uma, quase que arriscava a dizer que fizeram pontaria à minha cabeça. Acordei mas não abri os olhos, simplesmente deixei-me ficar. Ao som da primeira pancada lembrei-me das palavras e do som que elas fazem na nossa cabeça quando pensamos nelas. Pensei naquelas palavras que são constituídas por uma parte real e outra imaginária e que por isso são chamadas de complexas. Difícil é decidir qual das partes gosto mais. Será que a parte real é apenas imaginação minha, ou será que a parte imaginária é a verdadeira realidade?

À segunda pancada concluí que o melhor é ter as duas partes, poder sonhar sem nunca deixar de ter os pés na terra, ou então poder ter os pés na terra mas não sentir o chão tal é o poder da imaginação. Gosto desta complexidade… a clareza só torna as coisas desinteressantes.

Palavras e a boa disposição que elas podem trazer…

Ao som da terceira pancada abri os olhos e antes de conseguir dizer a primeira sílaba do dia ouvi uma voz que me disse: “já eras para estar no palco!”.

Por favor, Molière, só mais cinco minutos…

(Já alguma vez sentiram a quarta pancada? Não queiram, dói que se farta!)

Em palco...

Comentários

  1. ler te é encontrar uma luz...por mais pequenina que seja, é ver que o melhor da vida ainda esta para vir mesmo a cada pancada...:)

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    Passámos pelo teu blogue.

    Pelo que vimos és o tipo de pessoa que procuramos.

    Temos um fórum de discussão e uma webzine literária online: são espaços abertos à discussão saudável sobre livros, escrita, por aí…
    Achamos que também tens algo a dizer.

    Deixamos-te os links, passa por lá, deixa a tua marca e passa a mensagem!

    http://lit-zine.blogspot.com – webzine literária

    http://www.topfreeforum.com/litzineforum

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

#LoveLetter_AITD