Fechado...

Fechado... preso
Envolto na escuridão
Frio... Gélido
Não sinto a palma da minha mão
Olho em volta
Vagos e vazios são os rostos
Chaminés que cospem fumo
Para um céu negro pelo coração dos Homens
Asfixiante sensação de nada
Lento, quente... chega o manto
Negro que cobre tudo
É o adeus... fechem a tampa
Finalmente vou saber...
Haverá vida para além da morte?

Comentários

  1. brutalmente doloroso..."asfixiante sensação de nada", gostei!

    ResponderEliminar
  2. não sei pq mas senti sede...sede de te ler mais!! gostei muito!!

    ResponderEliminar
  3. O momento em que enfrentamos o vazio absoluto e perpétuo... é, só pode ser, uma "asfixiante sensação de nada". Palavras escolhidas a dedo.

    ResponderEliminar
  4. Um frio que nos rouba as mãos... tal como a morte começa. Aqui aparece descrita por versos em sensações iminentes.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário