quarta-feira, 20 de julho de 2011

Insensatez (How insensative)



Regresso tantas vezes
quanto as que
parto
corações
aos pedaços
que distribuo
com o olhar
pelas bocas
famintas
ao luar
no deserto
sobre mim
o teu corpo inerte
após a explosão
n
u
c
l
e
a
r

fusão

a t ó m i c a

sem igual
o teu sorriso
de
(a)mar
na distância
que vai daqui-aí.

3 comentários:

  1. "parto / corações / aos pedaços / que distribuo /com o olhar / pelas bocas / famintas"
    Que os versos continuem intactos, Ana Mar. (intactos mas distribuídos por todos):)

    ResponderEliminar
  2. Usas muito bem o ritmo e as palavras para transmitir sensações. Gosto muito que brinques com o grafismo nos teus poemas e permitas várias leituras.

    ResponderEliminar
  3. Será q chegamos a partir alguma vez????

    ResponderEliminar